SEU SILENCIO GRITAVA ALTO

Atualizado: 16 de ago. de 2021


A ausência da fala só denuncia a angústia em não conseguir expressar em palavras aquilo que a própria mente denuncia como algo que não se pode mudar. Com o silêncio vem a estagnação, quem cala consente, e pensa que nada sente se não disser. Quanto engano, pois "doenças são palavras não faladas" (Lacan)

Quem cala é porque a fala já não consegue acompanhar a dor que lateja mais rápido que o pensamento em expressar palavras. 

A estagnação não é cura, apenas paliativo para estancar a dor enquanto a verdadeira patologia permanece sem tratamento, sendo carregada pelo tempo em uma tentativa suicida de esquecimento.

Françoise Dolto se deslumbra na descoberta de que Jesus conduzia ao desejo. O mestre sempre indagava: “O que queres que eu te faça?”. É preciso manifestar desejo de mudança, é preciso querer, desejar, sonhar. Deixamos de falar quando não há quem escute. Mas somos palavra e o nosso corpo fala.

Mas porque falar? Ir ao divã só pra ter uma conversa com um estranho? Qual a importância em falar de mim? E aqui reside o mistério analítico, pois a psicanálise provém de um saber suposto - o do inconsciente.

Se falo de mim falando para os outros, falo dos outros que estão em mim, na fala de Lacan: "Onde estou não me vejo, me vejo sempre onde não estou". É a regra do discurso, falo do que os outros deveriam pensar de mim, falo do que os outros deveriam ser, ou falo do que os outros são e demonstro identificação. Se a fala pressupõe experiência pessoal, então a fala envolve interferir em alguma pessoa.


Ninguém informa. Terapia da fala não é saber o que o outro pensa, é saber como o outro interfere.


 “Quantos olhos você tem pra me falar?” canta Fagner. Os olhos dizem o que o corpo sofre por dentro. Olhos tristes revelam solidão. “Em vão a fala dos olhos e dos braços repetia...” denuncia o poeta Drummond, “se há distância”, conclui o poeta. A distância impetrada em nossos relacionamentos nos adoece e faz nosso coração sofrer.

A ausência da fala denuncia o não desejar, e o não desejo é morte. É preciso dizer palavras se queremos que a magia aconteça, pois no silêncio só mora a solidão. Foi no falar que Deus formou o mundo, dizem os Poemas Sagrados, pois na Palavra mora a ação.


No dizer está o esvaziamento, isso descobriu o Mestre Freud e assim nasceu a Psicanálise, uma ciência que se propõe a curar pela fala. Será que conversar com um amigo ou um líder religioso não faria o mesmo efeito? O filósofo Wittgestein afirma que o maior problema é que as coisas são conhecidas e acessadas pela comunicação, e ela é dialógica. É que quando dizemos algo, isso gera uma imagem mental da coisa no interlocutor, e falando uma coisa, as pessoas entendem outra.


Como ensinava Lacan, "nunca é o que digo e sim como o outro entende" e elas conversam com outras porque querem respostas. O filósofo Heidegger era especialista em fazer trocadilhos com os sentidos das palavras.


Um dos que ele faz diz respeito à resposta. Res-posta é coisa (res=coisa, em latim) posta... Então, resposta não é solução. É estar diante da coisa... Que evoca novas perguntas. Ao fim, não há objetos. Sujeitos não possuem. Estão diante de e, de alguma forma, o ser é que possui o sujeito que o observa. Fim do idealismo alemão. Início de um novo tempo, em que não há donos do conhecimento.


Não tocamos na essência das coisas. As coisas é que nos tocam e falamos delas, sempre parcialmente. Fim da justificativa para possuir. Então a psicanálise, sendo uma ciência da fala, se torna imprescindível, pois a fala dita em análise é a fala do não-sabido, é a fala do inconsciente.


Isso nos leva à outra questão, as pessoas precisam de psicanalistas porque estão doentes? De maneira alguma! É que no contexto, a fala implica dizer que há algum problema e por isso, psicanálise é necessidade.

Não! Psicanálise é prazer.

Melhor fazer porque tudo está bem, ou porque estamos felizes. Dá-nos lucidez e auxilia a perceber e abrir os olhos sobre o caráter ilusório de nosso conforto.

“Somos feitos da matéria dos sonhos”, poetiza Shakespeare. As palavras fazem nascerem coisas, e ao ter a coragem de se quebrar o silêncio, esteja preparado para voltarem os sonhos, pois sonhos são palavras em símbolos.


Sonhamos nossos desejos e desejamos realizar nossos sonhos, tenhamos então coragem de falar. A ausência da fala denuncia angústia, mas o falar é o prenúncio da cura.

182 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo